Sara e Victor: bora pro Japão! |

Sara e Victor: bora pro Japão!

Convidados pelo mestre Rikio a estudar cêramica em seu ateliê no Japão, Victor e Sara precisam de sua colaboração para embarcar nessa jornada!

Projeto por: Sara Diniz
R$ 11.390,00
arrecadado
meta R$ 10.000,00

64 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

Sara Diniz

Sara Diniz

R$ 15
arigatou!
2 benfeitores apoiando
Um cartão feito em papel artesanal com uma mensagem nossa de agradecimento pela sua contribuição. Ele é acompanhado de um delicado marcador de páginas!
R$ 20
Suisaiga (aquarela)
6 benfeitores apoiando
Uma aquarela 20X15 em papel de alta gramatura feita a partir da nossa percepção das belas e marcantes paisagens japonesas.
R$ 35
Sensaina (delicado)
12 benfeitores apoiando
Uma aquarela de paisagens japonesas e um colar minimalista. Ele tem como pingente uma pequena peça em cerâmica decorada.
R$ 45
Nekkuresu (colar)
15 benfeitores apoiando
Um colar com pingente de cerâmica com formas orgânicas variadas medindo 5cm. Ele é feito de argila branca ou creme e finalizado com esmalte cerâmico de cores sortidas.
R$ 85
Uekibachi (vaso de planta)
5 benfeitores apoiando
Um colar de cerâmica esmaltado acompanhado de um vasinho cerâmico decorado pensado para abrigar uma planta ou decorar a sua mesa.
R$ 100
Uekibachi + chawan
10 benfeitores apoiando
1 vasinho para planta ou decoração acompanhado de uma linda cumbuca esmaltada.
R$ 120
Wan-nari chawan
14 benfeitores apoiando
Um par de tigelas wan-nari (formato de cumbuca) esmaltadas para você convidar alguém querido para tomar aquele caldinho com você!
R$ 200
Kazaru (adornar)
5 benfeitores apoiando
Um prato decorativo pintado à mão na técnica de baixo vidrado.
R$ 350
Oishi no shokuji (refeição deliciosa)
2 benfeitores apoiando
Um jogo completo de refeição pra você! Um prato, um copo e uma tigela de sopa, todos esmaltados e combinando entre si.
R$ 500
Utsukushī ie (linda casa)
3 benfeitores apoiando
Um lindo e completo jogo de refeição (prato, como e cumbuca) acompanhado de um prato decorativo pintado à mão pra você decorar a sua casa.
R$ 600
Shokunin (artesão)
1 benfeitor apoiando
1 aquarela original produzida pelo Victor no tamanho 30x40cm 1 cesta artesanal produzida pela Sara medindo 20cm de altura e 20 de largura 1 gamela pintada à mão para servir como fruteira, petisqueira ou centro de mesa
R$ 800
kobachi + ochoko
2 benfeitores apoiando
Um jogo de chá esmaltado composto por 4 pires e 4 xícaras japonesas de chá (kobachi). Você recebe também com um par de copos de sakê feitos pelo mestre Rikio
R$ 1.000
Geijutsu! (Arte!)
1 benfeitor apoiando
um par de copos de sakê pelas mão do Rikio Um conjunto de 3 telas pensadas e executadas em pareceria por nós dois.

Um pouquinho da gente

Quem somos? Sara Diniz, 22 anos, natural de Cuiabá-MT e Victor Lara Borem, 19 anos, natural de Nova Lima-MG. Nos conhecemos em 2018 na Universidade Federal de Minas Gerais, onde atualmente somos alunos do curso de Artes Visuais. De todo o fazer artístico que experienciamos, nosso trabalho acabou convergindo num mesmo interesse: a cerâmica. Foi o contato com o barro que nos despertou fascínio pelo criar no plano tridimensional e por todas as técnicas, tradições e rituais que envolvem essa arte milenar. 

Confira um pouquinho mais de nosso trabalho no instagram:

@v.l.borem

@si.menor

             

 

           

 

E como é esse projeto?

Através do nosso curso tivemos a oportunidade de conhecer o ceramista japonês Rikio Hakudo Hashimoto, que é quem nos convidou para esta viagem. O projeto tem como principal objetivo proporcionar a artistas-estudantes de todo o mundo uma imersão no Japão para que, a partir desta, possam aprender sobre as técnicas e tradições que circundam a tradicional cerâmica japonesa. É também um dos propósitos do projeto o intercâmbio cultural entre os próprios artistas, que residindo e trabalhando juntos durante todo o período, compartilham experiências do próprio trabalho e também sobre a cultura de seu país/região. Ele acontecerá durante os meses de setembro e outubro no ateliê de Rikio, localizado no vilarejo de Misato, província de Shimane, no Japão.

 

Mas como funciona o financiamento coletivo?

Todo mundo ganha!

Queremos muito experienciar essa oportunidade incrível mas sozinhos não temos como arcar com todos os custos. O financiamento coletivo é, então, uma forma de arrecadar fundos para as passagens de ida e volta para o Japão, que custarão em média 5.000 reais para cada um de nós. A ideia deste tipo de financiamento é que as pessoas que se identifiquem com o nosso projeto colaborem com o valor que desejarem e nós as retribuiremos através do nosso trabalho, preparando com muito carinho recompensas exclusivas.Assim, cada colaborador terá em casa trabalhos nossos que o conectarão com o que foi a nossa experiência no Japão. É importante dizer também que é tudo ou nada, ou seja, se não batermos a nossa meta o dinheiro é inteiramente devolvido aos doadores, por isso cada valor é extremamente importante! 

Das recompensas: O valor de frete já se encontra incluso no valor da doação. 

 

.

Um pouquinho da gente

Quem somos? Sara Diniz, 22 anos, natural de Cuiabá-MT e Victor Lara Borem, 19 anos, natural de Nova Lima-MG. Nos conhecemos em 2018 na Universidade Federal de Minas Gerais, onde atualmente somos alunos do curso de Artes Visuais. De todo o fazer artístico que experienciamos, nosso trabalho acabou convergindo num mesmo interesse: a cerâmica. Foi o contato com o barro que nos despertou fascínio pelo criar no plano tridimensional e por todas as técnicas, tradições e rituais que envolvem essa arte milenar. 

Confira um pouquinho mais de nosso trabalho no instagram:

@v.l.borem

@si.menor

             

 

           

 

E como é esse projeto?

Através do nosso curso tivemos a oportunidade de conhecer o ceramista japonês Rikio Hakudo Hashimoto, que é quem nos convidou para esta viagem. O projeto tem como principal objetivo proporcionar a artistas-estudantes de todo o mundo uma imersão no Japão para que, a partir desta, possam aprender sobre as técnicas e tradições que circundam a tradicional cerâmica japonesa. É também um dos propósitos do projeto o intercâmbio cultural entre os próprios artistas, que residindo e trabalhando juntos durante todo o período, compartilham experiências do próprio trabalho e também sobre a cultura de seu país/região. Ele acontecerá durante os meses de setembro e outubro no ateliê de Rikio, localizado no vilarejo de Misato, província de Shimane, no Japão.

 

Mas como funciona o financiamento coletivo?

Todo mundo ganha!

Queremos muito experienciar essa oportunidade incrível mas sozinhos não temos como arcar com todos os custos. O financiamento coletivo é, então, uma forma de arrecadar fundos para as passagens de ida e volta para o Japão, que custarão em média 5.000 reais para cada um de nós. A ideia deste tipo de financiamento é que as pessoas que se identifiquem com o nosso projeto colaborem com o valor que desejarem e nós as retribuiremos através do nosso trabalho, preparando com muito carinho recompensas exclusivas.Assim, cada colaborador terá em casa trabalhos nossos que o conectarão com o que foi a nossa experiência no Japão. É importante dizer também que é tudo ou nada, ou seja, se não batermos a nossa meta o dinheiro é inteiramente devolvido aos doadores, por isso cada valor é extremamente importante! 

Das recompensas: O valor de frete já se encontra incluso no valor da doação. 

 

.

Sara Diniz ainda não publicou nenhuma notícia.