Ser Ponte Fortaleza |

Ser Ponte Fortaleza

Uma forma de distribuição direta de renda, sem burocracia, para pessoas em situação de extrema pobreza.


Meta 1: R$ 2.300

Entrega: Assistir mais 10 famílias com o pagamento de renda de R$ 180, além de pagar os custos financeiros para receber as doações

Celebração: Inciuiremos os nomes de todos os nossos doadores nos relatórios de prestação de contas. Caso não deseje seu nome divulgado, basta entrar em contato conosco.

Meta 2: R$ 5.750

Entrega: Assistir mais 25 famílias com o pagamento de renda de R$ 180, além de pagar os custos financeiros para receber as doações

Celebração: Incluiremos os nomes de todos os nossos doadores nos relatórios de prestação de contas. Caso não deseje seu nome divulgado, basta entrar em contato conosco.

Meta 3: R$ 11.500

Entrega: Assistir mais 50 famílias com o pagamento de renda de R$ 180, além de pagar os custos financeiros para receber as doações

Celebração: Incluiremos os nomes de todos os nossos doadores nos relatórios de prestação de contas. Caso não deseje seu nome divulgado, basta entrar em contato conosco.

Meta 4: R$ 23.000

Entrega: Assistir mais 100 famílias com o pagamento de renda de R$ 180, além de pagar os custos financeiros para receber as doações

Celebração: Incluiremos os nomes de todos os nossos doadores nos relatórios de prestação de contas. Caso não deseje seu nome divulgado, basta entrar em contato conosco.

Meta 5: R$ 57.050

Entrega: Assistir mais famílias com o pagamento de renda de R$ 180, além de pagar os custos financeiros para receber as doações

Celebração: Incluiremos os nomes de todos os nossos doadores nos relatórios de prestação de contas. Caso não deseje seu nome divulgado, basta entrar em contato conosco.

Informações principais

Quem somos

Somos um grupo de pessoas da sociedade civil que entende que nenhum ser humano deve viver na extrema miséria. Veja mais informações na seção "Mais Detalhes" abaixo. Se você precisar de alguma informação adicional, entre em contato conosco pelo email serpontefortaleza@gmail.com

O que estamos fazendo

Dando uma renda de R$ 180 por família assistida, sem burocracia e de forma rápida.

Iniciamos o projeto com 20 famílias com a pretensão de apoiá-las de abril a julho/2020. Com a ajuda de pessoas como você, já chegamos a 160 famílias e fomos capazes de estender o período de abril a setembro/2020. Mas podemos e queremos fazer mais.

Por quê?

O IBGE indica que mais de 13,5 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha da miséria (com menos de R$ 145 mensais). Devido aos impactos econômicos da pandemia do Coronavírus (Covid-19), a situação tende a piorar. Dar uma renda mínima de forma rápida e sem burocracia é algo ainda mais urgente agora. Há uma série de pesquisas científicas que indicam que a renda mínima - ou renda básica universal - é um fator poderoso para melhorar a sociedade (veja nossas referências de leitura ao final desta página).

Em que regiões estamos atuando?

Em Fortaleza, CE. Na capital mais densamente povoada do Brasil, segundo o IBGE, em que metade da população não tem acesso a saneamento básico, os riscos da pandemia e da crise relacionada são ainda maiores e toda ajuda é pouco. De acordo com critérios como IDH, renda e acesso a recursos essenciais, definimos seis territórios da Cidade. Veja mais informações ao final da página.

Quem distribui o dinheiro?

A abordagem aos assistidos é feita por agentes territoriais: moradores dos territórios que são líderes comunitários com trajetórias de luta por direitos básicos.

Todos os agentes territoriais que estão na ponta desse projeto têm uma grande experiência de ativismo dentro das suas comunidades e em outros movimentos sociais, estabelecendo a partir disso uma relação de respeito e confiança. Ninguém melhor do que eles para construir essa ponte direta com as famílias.

Como funciona a distribuição?

A distribuição é feita sem burocracia. Mantemos um cadastro mínimo com nome, informações sobre a família (número de pessoas, renda aproximada), endereço, e idade e outros dados sócio-demográficos simples, coletados pelos agentes territoriais. A ideia é desburocratizar o processo e garantir uma renda mínima básica de forma rápida.

Como tenho acesso à prestação de contas?

Disponibilizaremos mensalmente um relatório de impacto detalhando o número de assistidos, informações demográficas, receitas com as doações, despesas detalhadas e expectativa de atuação para o próximo mês. Enviaremos o relatório por email para cada um dos doadores.

Você também pode ver os relatórios já publicados abaixo. Os arquivos estão em formato PDF. Fique à vontade para divulgar e compartinhar nas suas redes sociais:

Relatório de Abril/2020 [PDF]

Mais detalhes

Qual é nossa motivação?

Não estamos sozinhos no mundo, mesmo quando precisamos nos distanciar. Acreditamos que todos nós estamos implicados nas desigualdades à nossa volta e somos corresponsáveis por acabar com elas.

Acreditamos numa renda básica universal como forma de tirar as pessoas da linha da extrema miséria, e que as iniciativas governamentais no Brasil, independente da cor ideológica do partido da vez, são, em geral, lentas, burocráticas e erráticas. Segundo o IBGE, temos 13,5 milhões de brasileiros vivendo com menos de R$ 145 mensais e a situação não está melhorando. Esperar apenas pela iniciativa do Estado, ou da consciência social da iniciativa privada, não vem funcionando. As poucas iniciativas, quando saem do papel, se perdem em um mar de burocracia e demoram a chegar em quem precisa. Não vamos esperar, ao mesmo tempo em que continuamos exigindo do poder público a sua atuação para garantir os direitos constitucionais de todos.

Devido à contínua precarização do trabalho no Brasil, muitas pessoas tiveram que recorrer à informalidade ou a subempregos para manter alguma renda. Com os impactos econômicos causados pela pandemia do Covid-19, grande parte da população está perdendo suas fontes de sustento. Quem está em situação de miséria não tem tempo para esperar. O nosso objetivo é distribuir valores financeiros sem burocracia para estas pessoas mais atingidas.

Dar dinheiro sem restrições não aumenta o uso de álcool, cigarro e outras drogas?

Esta é uma preocupação comum na nossa sociedade. Há uma crença de que o dinheiro dado a pessoas em situação de miséria será usado para comprar álcool, cigarro ou outras drogas. As evidências científicas provam que esta crença não é verdadeira.

No estudo "Transferência de dinheiro e bens de tentação" (Título original: Cash Transfers and Temptation Goods), os pesquisadores David K. Evans, do Banco Mundial (World Bank), e Anna Popova, da Universidade de Stanford, mostram que esta crença é falsa. Eles examinaram o gasto em "bens de tentação", como álcool e cigarros, após o recebimento de dinheiro por pessoas em extrema miséria. Os dados mostram que após receber tais benefícios o consumo de bens de tentação por essas pessoas na verdade diminui (Evans; Poppova, 2014).

O estudo de Evans e Popova analisou 19 outros estudos sobre iniciativas de distribuição de renda em diversas parte do mundo. A conclusão é que "quase sem exceção, os estudos indicaram que não há relação entre o recebimento de benefícios em dinheiro e o gasto em álcool e cigarro".

Como serão usadas as doações?

YYJ8vRd.png

O gráfico acima ilustra como as doações são distribuídas.

A maior parte do dinheiro arrecadado é repassado aos assistidos (aproximadamente 80%). Cerca de 10% são de custos financeiros. Este valor se divide em tarifa da plataforma que recebe as doações (4,5%) e uma contribuição para a plataforma Benfeitoria, que hospeda a doação e possibilita viabilizar este projeto (5,5%).

Aplicamos cerca de 8% do valor recebido para expandir nossa cobertura. Utilizamos este recurso para compra de equipamento de proteção individual (EPI), bolsas para ajuda de custo aos agentes territoriais, fazer divulgação em rede sociais (Instagram, Facebook e Twitter) e para criar nosso futuro site. Por fim, cerca de 4% do valor arrecadado vai para pequenos custos, como locomoção dos agentes distribuidores e outros custos não previstos.

Nos relatórios de prestação de contas, expomos os dados atualizados de como as doações são aplicadas. Os relatórios também incluem dados históricos de como os recursos foram utilizados nos meses anteriores.

Por que a atuação apenas em Fortaleza?

Todos os envolvidos na organização do projeto moram ou têm vínculo com Fortaleza. Este tipo de iniciativa necessita de conhecimento, presença e conexões fortes do local para funcionar.

Se você gostaria de expandir a ideia para a sua cidade/região, entre em contato conosco. Podemos conversar a respeito e contribuir com metodologia e experiências.

Quem são vocês mesmo?

beETBvM.jpg

geHMPaL.jpg

P7inAhS.jpgxvgvqXV.jpg

YSyJrrl.jpg

BcEuAQM.jpg

pPPxX01.jpg

JbY1uiu.jpg

Territórios

Os catorze territórios de Fortaleza beneficiados pelo SerPonte são marcados pela falta de acesso a direitos básicos, como saúde, trabalho e alimentação. Em cada um deles a precariedade é apresentada de maneira diferente.

O JANGURUSSU, território com o IDH 0,17, concentrou em 2018 o maior número de adolescentes assassinados do Ceará. A FAVELA DA FUMAÇA, no Pici também é um dos 20 bairros que concentram mais de 48% dos homicídios em Fortaleza. Já o MARROCOS está localizado no Bom Jardim, bairro com o maior índice mortalidade infantil da cidade entre 2017 e 2019. Na comunidade INFERNINHO, no bairro Vila Velha, a maior parte da população vive com renda pouco acima da linha da pobreza, o equivalente a 486,00 por mês (a linha da pobreza é de R$420,00). E no LAGAMAR um terço da população não tem renda ou vive com até meio salário mínimo. Enquanto o SERVILUZ tem uma taxa de anafalbetismo de 18% da população. Os outros territórios são Vila Velha 3 e 4, Caça e Pesca, Jaiçara e Três Irmãs (na Sabiaguaba), Residencial Cidade Jardim I Residencial Cidade Jardim II (no José Walter) e Conjunto Orgulho do Ceará.

9lneDAd.jpg

 

Redes sociais

A iniciativa Ser Ponte também está nas seguintes redes sociais:

UqtAKGm.jpgInstagram: @serpontefortaleza

Mais informações sobre pagamento direto a necessitados e renda básica universal

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento, aponta pesquisa (Fonte: BBC Brasil - Brasil - Português)

O liberal contra a miséria (Fonte: Revista Piauí - Brasil - Português): Texto completo

Renda básica universal custaria menos do que se imagina (Fonte: Revista Época Negócios - Brasil - Português)

Renda básica universal: a última fronteira do Estado de bem-estar social (Fonte: El País - Espanha - Português)

Transferência de dinheiro e tentação (Fonte: World Bank - Pesquisa Científica - Estados Unidos - Inglês): Cash transfers and temptation goods : a review of global evidence

Dê dinheiro aos pobres (Fonte: Revista The Atlantic - Estados Unidos - Inglês): Give poor people cash

Dando dinheiro às pessoas, sem exigências (Fonte: Revista Slate - Estados Unidos - Inglês): Giving people money, no strings attached

Mais evidências de que dar dinheiro aos pobres é uma ótima solução para pobreza (Fonte: Revista Vox - Estados Unidos - Inglês): More evidence that giving poor people money is a great cure for poverty

Ante à pandemia do coronavirus, precisamos mais que nunca de uma renda básica (Fonte: Red Renta Básica - Espanha - Espanhol): Ante la pandemia del coronavirus, más que nunca necesitamos una renta básica

Aguarde, carregando...



Relatório de Impacto - Abril/2020

Em 10/05/2020 15:25


Nosso primeiro relatório de impacto, referente ao mês de abril/2020, está disponível. Além de conhecer em mais detalhes as ações, aproveite também para divulgar a iniciativa para outras pessoas.

Relatório de Impacto - Abril/2020 [PDF]


R$ 9.935,00
arrecadado por mês
meta R$ 11.500
162
assinantes
86%
arrecadado





Financiamento Recorrente

Faça parte desse projeto!
Vire um assinante mensal.



assinar com este valor
R$20 por mês

55 assinantes mensais

assinar com este valor
R$50 por mês

55 assinantes mensais

assinar com este valor
R$100 por mês

38 assinantes mensais

É uma forma de viabilizar projetos de impacto positivo. Essa não é uma compra. É um ato de confiança.

A Benfeitoria não pode assegurar a execução do projeto nem a entrega das recompensas. Essa é uma responsabilidade direta dos realizadores. Estamos empenhados em fazer uma nova economia acontecer. Vamos juntos?

Saiba mais sobre as responsabilidades

  • Alisson Sellaro
  • Categoria: Inclusão Social, Saúde e Bem-Estar, Política

Alisson Sellaro

Pavla Martins
Alice Gabrielle de Sousa Costa
Inácio Fernandes de Araújo Junior
Amanda Amaral
Viviane Alves
Tiago Jales
Thiago Malveira Peixoto
EMILLE RABELO DE OLIVEIRA
Viviane rocha
Maria Caroline Alves Tavares
Ranielly Paula Rangel de Oliveira
Suzana Maurício Nogueira
Daniela Zabludowski
Luana de Holanda
Dayane Araújo Bilhar
Ícaro Lira