[MA] Solidariza São Luis |

[MA] Solidariza São Luis

Seja um doador, voluntário ou parceiro do SolidarizaSlz e colabore com doação de 500 cestas básicas e 500 kits de higiene pessoal!

Projeto por: Cricielle Aguiar Muniz
R$ 17.040,00
arrecadado
meta R$ 29.630,00

5 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Cricielle Aguiar Muniz

Cricielle Aguiar Muniz
R$ 20
Apoiar essa campanha com R$ 20
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 50
Apoiar essa campanha com R$ 50
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 80
Apoiar essa campanha com R$ 80
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 100
Apoiar essa campanha com R$ 100
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 200
Apoiar essa campanha com R$ 200
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 300
Apoiar essa campanha com R$ 300
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 500
Apoiar essa campanha com R$ 500
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 1.000
Apoiar essa campanha com R$ 1000
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!
R$ 3.000
Apoiar essa campanha com R$ 3000
Seja o primeiro a apoiar!
Obrigada pela sua colaboração!

Estamos passando por um momento difícil com a pandemia nosso país, com isso milhares de pessoas não tem condições de comprar itens de higiene, conforme os especialistas dizem que a melhor forma de evitar mortes neste momento é diminuir aglomerações e ficar em casa, porém milhares de ludovicense estão desempregados e empregos informais, assim como, ambulantes, entregadores, diaristas, domésticas e motoristas de aplicativos.

O nosso projeto terá 3 etapas de doações em diversos bairros de grande vulnerabiludae social em São Luís (Ilhinha, Vila Portelinha, Coroadinho, Jaracaty, Santa Clara, Matinha e Itaqui Bacanga).

As entregas ocorrem a partir do contato com lideranças dos bairros, que entrem em contato para solicitar a quantidade de itens, logo após, com hora marcada, tal liderança se dirige aos pontos de recebimento e distribuição que o projeto tem espalhado por São Luís para fazer a retirada, tudo com o intuito de não gerar aglomerações.

A Rede Solidariza São Luís foi criada com o objetivo de auxiliar as pessoas mais vulneráveis nesse momento difícil que passando no país e na nossa cidade. 

 O Projeto Solidariza São Luís é coordenado por Cricielle Muniz, mulher, jovem, negra e periférica, e tem como principal objetivo em ajudar as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social agravada pela pandemia do Coronavírus, onde iniciamos no dia 28 de março e contamos com apoio da sociedade civil, em 30 dias já doamos mais de 1 Tonelada e meia de alimentos e mais de 300 kits de higiene pessoal doados.   O Projeto teve início no bairro de Cricielle, Ilhinha, periferia de São Luís, e se expandiu para mais de 10 bairros da capital maranhense.

A Rede Solidariza São Luís foi criada com o objetivo de auxiliar as pessoas mais vulneráveis nesse momento difícil que passando no país e na nossa cidade. 

Voluntários de toda a cidade se juntaram para recolher e entregar doações de alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza que serão entregues para associações, casas de apoio à população LGBTQI+, e principalmente mães chefes de família em situação de risco nas periferias de São Luís.

No Brasil, quem mora nas periferias não possuem as condições de realizar as recomendações sanitárias necessarias, mais 11 milhões de brasileiros vivem no mesmo cômodo com mais de 3 pessoas;  31,1 milhões de Brasileiros não tem acesso água;  5,8 milhões não tem banheiro em casa.

 A pandemia mostra o abismo social presente no Brasil, que se agravou desde 2017 até o momento. Destacamos isso porque a Coordenadora do projeto, Cricielle, mora na periferia de São Luís e vive essa realidade no dia a dia.

 Do seu cotidiano pode observar a crise social agravada pela pandemia: diaristas, autônomas, empregadas domésticas, e profissionais de outras áreas que tiveram seu sustento diretamente afetado pela pandemia, adicionada a resposta insuficiente do governo federal em dar proteção social em caráter emergencial. 

Dizer que o vírus não enxerga raça, gênero, identidade de gênero e orientação sexual é uma falácia que perde o sentido quando confrontada pela realidade, grupos que sempre sofreram com a desigualdade no país compõe a maior porcentagem de mortes no Brasil, sobretudo negros/as, indígenas, população LGBTQI+, população em situação de rua, e mães que são chefes de família.

Grande parte da população brasileira não possui condições de realizar a mais básica orientação de higiene, lavar as mãos, seja por falta d'água, falta de saneamento, ou falta de uma casa pra morar. Diante de tal realidade, aqueles que ficam inertes num momento de crise como o que estamos enfrentando, colabora para a barbárie contra os mais vulneráveis.

São Luís, capital do Maranhão possui como umas das principais fontes de renda o trabalho informal, feiras livres, comércios, ambulantes, autônomo, grupos que foram diretamente afetados pela crise econômica gerada pelo Corona vírus. Aliado isso, temos a geografia social da cidade, onde bairros pobres sofrem com problemas de saneamento e compõe a maioria do espaço geográfico de São Luís. Muitas periferias, tanto em quantidade, quanto em extensão se território. Por isso o projeto se faz necessário.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Cricielle Aguiar Muniz ainda não publicou nenhuma notícia.

Estamos passando por um momento difícil com a pandemia nosso país, com isso milhares de pessoas não tem condições de comprar itens de higiene, conforme os especialistas dizem que a melhor forma de evitar mortes neste momento é diminuir aglomerações e ficar em casa, porém milhares de ludovicense estão desempregados e empregos informais, assim como, ambulantes, entregadores, diaristas, domésticas e motoristas de aplicativos.

O nosso projeto terá 3 etapas de doações em diversos bairros de grande vulnerabiludae social em São Luís (Ilhinha, Vila Portelinha, Coroadinho, Jaracaty, Santa Clara, Matinha e Itaqui Bacanga).

As entregas ocorrem a partir do contato com lideranças dos bairros, que entrem em contato para solicitar a quantidade de itens, logo após, com hora marcada, tal liderança se dirige aos pontos de recebimento e distribuição que o projeto tem espalhado por São Luís para fazer a retirada, tudo com o intuito de não gerar aglomerações.

A Rede Solidariza São Luís foi criada com o objetivo de auxiliar as pessoas mais vulneráveis nesse momento difícil que passando no país e na nossa cidade. 

 O Projeto Solidariza São Luís é coordenado por Cricielle Muniz, mulher, jovem, negra e periférica, e tem como principal objetivo em ajudar as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social agravada pela pandemia do Coronavírus, onde iniciamos no dia 28 de março e contamos com apoio da sociedade civil, em 30 dias já doamos mais de 1 Tonelada e meia de alimentos e mais de 300 kits de higiene pessoal doados.   O Projeto teve início no bairro de Cricielle, Ilhinha, periferia de São Luís, e se expandiu para mais de 10 bairros da capital maranhense.

A Rede Solidariza São Luís foi criada com o objetivo de auxiliar as pessoas mais vulneráveis nesse momento difícil que passando no país e na nossa cidade. 

Voluntários de toda a cidade se juntaram para recolher e entregar doações de alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza que serão entregues para associações, casas de apoio à população LGBTQI+, e principalmente mães chefes de família em situação de risco nas periferias de São Luís.

No Brasil, quem mora nas periferias não possuem as condições de realizar as recomendações sanitárias necessarias, mais 11 milhões de brasileiros vivem no mesmo cômodo com mais de 3 pessoas;  31,1 milhões de Brasileiros não tem acesso água;  5,8 milhões não tem banheiro em casa.

 A pandemia mostra o abismo social presente no Brasil, que se agravou desde 2017 até o momento. Destacamos isso porque a Coordenadora do projeto, Cricielle, mora na periferia de São Luís e vive essa realidade no dia a dia.

 Do seu cotidiano pode observar a crise social agravada pela pandemia: diaristas, autônomas, empregadas domésticas, e profissionais de outras áreas que tiveram seu sustento diretamente afetado pela pandemia, adicionada a resposta insuficiente do governo federal em dar proteção social em caráter emergencial. 

Dizer que o vírus não enxerga raça, gênero, identidade de gênero e orientação sexual é uma falácia que perde o sentido quando confrontada pela realidade, grupos que sempre sofreram com a desigualdade no país compõe a maior porcentagem de mortes no Brasil, sobretudo negros/as, indígenas, população LGBTQI+, população em situação de rua, e mães que são chefes de família.

Grande parte da população brasileira não possui condições de realizar a mais básica orientação de higiene, lavar as mãos, seja por falta d'água, falta de saneamento, ou falta de uma casa pra morar. Diante de tal realidade, aqueles que ficam inertes num momento de crise como o que estamos enfrentando, colabora para a barbárie contra os mais vulneráveis.

São Luís, capital do Maranhão possui como umas das principais fontes de renda o trabalho informal, feiras livres, comércios, ambulantes, autônomo, grupos que foram diretamente afetados pela crise econômica gerada pelo Corona vírus. Aliado isso, temos a geografia social da cidade, onde bairros pobres sofrem com problemas de saneamento e compõe a maioria do espaço geográfico de São Luís. Muitas periferias, tanto em quantidade, quanto em extensão se território. Por isso o projeto se faz necessário.

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$30.000 seja alcançado.

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo de iniciativas que enfrentem os efeitos do Coronavírus nas periferias urbanas brasileiras. Por se tratar de um Fundo Colaborativo e aberto a novos parceiros, o montante destinado a triplicação dos projetos pode ainda aumentar, possibilitando um número maior de iniciativas contempladas.

Cricielle Aguiar Muniz ainda não publicou nenhuma notícia.