[AC] Tacacá da Boneca |

[AC] Tacacá da Boneca

Ajude o Tacacá da Boneca a continuar distribuindo delícias em Xapuri, no Acre.

Projeto por: Maria de Lurdes Alves da Silva
R$ 15.070,00
arrecadado
meta R$ 15.000,00

5 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.


POR

Maria de Lurdes Alves da Silva

Maria de Lurdes Alves da Silva
R$ 10
Agradecimentos da floresta
1 benfeitor apoiando
Com esse valor você receberá uma carta digitalizada e encaminhada por e-mail ou rede social agradecendo sua importante contribuição.
R$ 20
O canto dos Chapurys
Seja o primeiro a apoiar!
Com essa contribuição você ganhará um vídeo por e-mail ou rede social com nossa equipe agradecendo a sua contribuição.
R$ 50
A cuia do tacacá
Seja o primeiro a apoiar!
Com essa contribuição você receberá um kit contendo 02 cuias artesanais de tacacá, especialmente feitas com pinturas dos índios locais.

10 disponíveis.
R$ 100
Degustação de tacacá
1 benfeitor apoiando
Com esse valor você recebe uma degustação de tacacá durante 01 semana, com entrega gratuita em qualquer ponto da cidade de Xapuri, no Acre. *Exclusivo para a cidade de Xapuri/AC,

9 disponíveis.
R$ 200
Quitutes de Xapuri
3 benfeitores apoiando
Com essa contribuição você receberá um kit contendo doces típicos de Xapuri: bombons de cupuaçu, castanhas-do-Brasil cristalizadas, bananada e garrafinha (150ml) de licor de araçá para adoçar a sua vida.

8 disponíveis.

 

Sou filha de seringueiros, nasci dentro da floresta e desde cedo aprendi uma técnica que vem dos índios de extrair a manipuera (tucupi) da mandioca e aproveitar os produtos que vem da natureza. Com o tucupi faço tacacá, um prato bem conhecido na região e vendo ao final das tardes. Também vendo cocada, bananada e bombons de cupuaçu, licor de araçá, e foi o que garantiu a criação de meus 4 filhos e sua educação.

O Tacacá da Boneca é uma sensação em Xapuri/AC e com a pandemia passou a ser distribuído via entregas, mas com um número reduzido de clientes pois não tenho como arcar com muitos entregadores, impedindo meu negócio de progredir. Meu negócio foi criado na época que eu virei mãe solo, utilizando o que aprendi a fazer desde cedo, para poder criar os meus filhos. Hoje tenho 61 anos e é com o meu tacacá que eduquei 4 filhos, 1 neto e ajudei a terminar de criar meus irmãos. E me orgulho de extrair da mandioca o tucupi responsável por me sustentar e ser conhecida no meu bairro como a mulher da manipuera.

A pandemia veio para atrapalhar nossas vidas de todas as formas. Meu meio de venda eram os carrinhos de tacacá, de forma presencial, como eu já sou de idade (tenho 61 anos) não posso estar em meio a aglomeração de pessoas. Daí nossos carrinhos tiveram que parar, obedecendo as normas das autoridades sanitárias e respeitando as regras de isolamento e cuidados com a saúde para evitar contágio com o Coronavírus. Adotamos todos os cuidados com relação a higienização do tacacá e da embalagem que os entregadores levam, fazendo o procedimento de venda e entrega para evitar aglomeração, uso de álcool em gel por minha equipe e os rapazes da entrega, além do uso de máscara por todos. Estou tentando trabalhar fazendo entregas mas aí envolve outras logísticas e estou com dificuldade de manter o negócio. 

E aí, vamos tomar um tacacá?

 

 

Com o valor arrecadado pretendo dar continuidade ao meu negócio, pagando as dívidas que se acumularam no período de pandemia, além de comprar mais materiais (antes eu mesma extraía o tucupi da mandioca, mas o coronavírus me trouxe sequelas nas articulações e ficou muito complicado), e contratar entregadores para fazer a distribuição do tacacá da Boneca pela cidade de Xapuri, no Estado do Acre.

Meu objetivo é poder continuar com o meu negócio, mantendo as 5 pessoas que trabalham comigo, garantindo renda para essas pessoas também. Pagar meus fornecedores e assim gerar renda também a eles e poder melhorar um pouco da vida das famílias que moram no meu bairro e que dependem do meu negócio, aquecendo um pouco da economia da Sibéria.

 

 

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$15.000 seja alcançado.

 

 

 

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 1.500.000,00 ( um milhão e 500 mil reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo para recuperação de micro e pequenos negócios das periferias afetados pela pandemia. O Fundo Colaborativo segue aberto para novos parceiros que desejam destinar recursos para as periferias urbanas brasileiras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria de Lurdes Alves da Silva ainda não publicou nenhuma notícia.

 

Sou filha de seringueiros, nasci dentro da floresta e desde cedo aprendi uma técnica que vem dos índios de extrair a manipuera (tucupi) da mandioca e aproveitar os produtos que vem da natureza. Com o tucupi faço tacacá, um prato bem conhecido na região e vendo ao final das tardes. Também vendo cocada, bananada e bombons de cupuaçu, licor de araçá, e foi o que garantiu a criação de meus 4 filhos e sua educação.

O Tacacá da Boneca é uma sensação em Xapuri/AC e com a pandemia passou a ser distribuído via entregas, mas com um número reduzido de clientes pois não tenho como arcar com muitos entregadores, impedindo meu negócio de progredir. Meu negócio foi criado na época que eu virei mãe solo, utilizando o que aprendi a fazer desde cedo, para poder criar os meus filhos. Hoje tenho 61 anos e é com o meu tacacá que eduquei 4 filhos, 1 neto e ajudei a terminar de criar meus irmãos. E me orgulho de extrair da mandioca o tucupi responsável por me sustentar e ser conhecida no meu bairro como a mulher da manipuera.

A pandemia veio para atrapalhar nossas vidas de todas as formas. Meu meio de venda eram os carrinhos de tacacá, de forma presencial, como eu já sou de idade (tenho 61 anos) não posso estar em meio a aglomeração de pessoas. Daí nossos carrinhos tiveram que parar, obedecendo as normas das autoridades sanitárias e respeitando as regras de isolamento e cuidados com a saúde para evitar contágio com o Coronavírus. Adotamos todos os cuidados com relação a higienização do tacacá e da embalagem que os entregadores levam, fazendo o procedimento de venda e entrega para evitar aglomeração, uso de álcool em gel por minha equipe e os rapazes da entrega, além do uso de máscara por todos. Estou tentando trabalhar fazendo entregas mas aí envolve outras logísticas e estou com dificuldade de manter o negócio. 

E aí, vamos tomar um tacacá?

 

 

Com o valor arrecadado pretendo dar continuidade ao meu negócio, pagando as dívidas que se acumularam no período de pandemia, além de comprar mais materiais (antes eu mesma extraía o tucupi da mandioca, mas o coronavírus me trouxe sequelas nas articulações e ficou muito complicado), e contratar entregadores para fazer a distribuição do tacacá da Boneca pela cidade de Xapuri, no Estado do Acre.

Meu objetivo é poder continuar com o meu negócio, mantendo as 5 pessoas que trabalham comigo, garantindo renda para essas pessoas também. Pagar meus fornecedores e assim gerar renda também a eles e poder melhorar um pouco da vida das famílias que moram no meu bairro e que dependem do meu negócio, aquecendo um pouco da economia da Sibéria.

 

 

Match-funding é como uma vaquinha turbinada: uma nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, que multiplicam a arrecadação. Para cada R$ 1 arrecadado pelos projetos selecionados por intermédio da plataforma da Benfeitoria, o Fundo Colaborativo Enfrente contribui com mais R$ 2, até que o valor de R$15.000 seja alcançado.

 

 

 

O Fundo Colaborativo Enfrente, composto pela Fundação Tide Setubal e demais parceiros (vide aba “Parceiros” em benfeitoria.com/enfrente) poderá aportar o total de mais R$ 1.500.000,00 ( um milhão e 500 mil reais) para triplicar a arrecadação de campanhas de financiamento coletivo para recuperação de micro e pequenos negócios das periferias afetados pela pandemia. O Fundo Colaborativo segue aberto para novos parceiros que desejam destinar recursos para as periferias urbanas brasileiras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria de Lurdes Alves da Silva ainda não publicou nenhuma notícia.