Teatro Oficina |

Teatro Oficina

Campanha de financiamento recorrente do Teat(r)o Oficina, a companhia mais longeva do Brasil, que completa 60 anos em 2018.


Meta 1: R$ 34.400

Entrega: Custo mensal das despesas fixas da companhia, como aluguéis e contas de internet, água e luz.

Celebração: VISITA GUIADA AO TEAT(R)O OFICINA Visita ao Teatro Oficina, com tour guiado por um de nossos artistas, contando a história da companhia e de cada detalhe da arquitetura do teatro mais bonito do mundo. O teatro, projetado por Lina Bo Bardi e Edson Elito, está localizado no bairro do Bixiga, em São Paulo.

Meta 2: R$ 44.400

Entrega: Custo mensal das despesas fixas da companhia, como aluguéis e contas de internet, água e luz + uma quantia destinada a anúncios semanais na mídia.

Celebração: REIMPRESSÃO DO PROGRAMA ORIGINAL DE RODA VIVA (1968)

Meta 3: R$ 91.500

Entrega: Inclui as meta 1 e 2 + cachê-base para um núcleo de 25 pessoas que trabalham na companhia + contratação de treinadores de corpo e voz, para a preparação dos atuadores.

Celebração: ACESSO A ENSAIOS Assista 7 ensaios no Teat(r)o Oficina, na fase final do processo de criação e montagem.

Em 2018 o Teat(r)o Oficina completa 60 anos! Esse ano de festa, de comemoração de bodas de diamante, é um dos PIORES anos de investimento no trabalho da companhia e na manutenção de seu espaço. Após quase dois anos sem patrocínio, chegamos agora, em 2018, num COLAPSO, NA PRECARIEDADE RADICAL DO NOSSO TRABALHO E DA MANUTENÇÃO DO ESPAÇO. O financiamento contínuo nesta plataforma é fundamental para a continuidade dos trabalhos e para a manutenção do acervo e do edifício da cia, sediada no Bixiga.

META 1

OMTXguF.png

 

META 2

 

9aw9cPC.png

 

ORÇAMENTO ANUAL

Os espetáculos, desde os sertões, tem uma multidão na equipe – por volta de 60 pessoas. O trabalho é muito caro, valioso e exige dedicação. Iríamos muito além, com as condições de pagar bem ao time que não só monta e atua nos espetáculos, mas está ligado no tudão, na manutenção do espaço, na concepção da expansão urbana, na continuidade do projeto de Lina Bo Bardi e da linha estética da companhia, que existe desde 1958.

Manter a companhia o ano todo + a montagem de espetáculos  + manutenção do melhor teatro do mundo, segundo o jornal The Guardian é um desafio cada vez mais complicado. Além do prédio do teatro oficina, que é de propriedade do Estado de São Paulo, mas tem todas as despesas – água, luz, limpeza, reparos – inteiramente mantidas por nós, posseiros, a Companhia mantém a casa de produção, um depósito de objetos de cena na rua São Domingos, um acervo de figurinos na rua major Diogo, e um depósito no sacolão, embaixo do minhocão, para grandes objetos.

Além da montagem dos espetáculos, existe uma despesa mensal para esse acervo e para o time que realiza esse trabalho, sem falar na necessidade de treino dos atores e cyberartistas, nos trabalhos diários de música, dança, tecnologias, estudos.

 

Gq9MUgQ.jpg

TRAJETÓRIA DE LUTA

Criado coletivamente há 6 décadas por quase 2000 pessoas, entre artistas e atuadores de todas as áreas, o Teatro Oficina tem como diretor o maior encenador brasileiro, José Celso Martinez Corrêa. Um dos expoentes dessa criação é a sede da companhia, o prédio, obra de arte de Lina Bo Bardi e Edson Elito, tombado como patrimônio nacional, localizado no bairro do Bixiga, um mangue fértil da cidade, que luta para não ter toda forma de vida, diversa e potente, esmagada pela especulação imobiliária. No Teat(r)o Oficina arquitetura e encenação são indissociáveis y por essa alquimia, em 2015, foi reconhecido pelo jornal britânico The Guardian como o teatro mais bonito e intenso do mundo, seguido por Epidaurus, na Grécia! Arte, cultura y imaginação são infra–estruturas da vida, fundamentais para enfrentar momentos de crise e instabilidade como os que atravessamos agora. Há 60 anos a companhia Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona produz, ininterruptamente arte, ciência y cultura. Somos um movimento, uma potência. Uma linguagem.

Essa campanha é um movimento coletivo de amantes da arte e da vida, é um ato político de alegria e de luta! Um movimento que deseja o Teat(r)o Oficina forte! Calibrado técnica e artisticamente em sua plena potência. A valoração econômica, através dessa campanha de financiamento recorrente é fundamental para a manutenção do edifício, obra de arte tombada pelo CONPRESP, CONDEPHAAT e IPHAN e premiada na Quadrienal de Praga. 

A bilheteria, até os anos 60, foi a principal fonte de renda das companhias. A tradição de pagar o ingresso pela cultura existiu mesmo em grupos com financiamento, como foi o caso do TBC, onde Franco Zampari, em 1948, aglutinou milionários da elite paulistana para investir em um teatro de repertório com o pagamento permanente de artistas e técnicos. A constelação do TBC era formada por uma geração que teve Cacilda Becker, Adolfo Celi, Sérgio Cardoso, Paulo Autran, Tônia Carreiro, Cleyde Yáconis, Walmor Chagas – artistas que saíram desse celeiro de criação e fundaram muitas outras companhias, capitaneadas por essas estrelas. As jovens companhias surgidas a partir do fim da década de 50, como o Teat(r)o Oficina e o Teatro de Arena, com estruturas de criação e linguagens muito diferentes tinham também a bilheteria como importante fonte de renda. Além de parte fundamental do orçamento, é a valoração direta entre artistas e o público. As sessões de terça a domingo, foram substituídas por curtas temporadas. A bilheteria, substituída por leis de incentivo, hoje criminalizadas. Essa campanha é portanto uma maneira de reinventar uma economia da cultura.

 

 

Aguarde, carregando...



R$ 280,00
arrecadado por mês
meta R$ 34.400
7
assinantes
1%
arrecadado





Financiamento Recorrente

Faça parte desse projeto!
Vire um assinante mensal.



assinar com este valor
R$20 por mês

5 assinantes mensais

assinar com este valor
R$40 por mês

Seja o primeiro assinante

assinar com este valor
R$60 por mês

1 assinantes mensais

assinar com este valor
R$100 por mês

1 assinantes mensais

É uma forma de viabilizar projetos de impacto positivo. Essa não é uma compra. É um ato de confiança.

A Benfeitoria não pode assegurar a execução do projeto nem a entrega das recompensas. Essa é uma responsabilidade direta dos realizadores. Estamos empenhados em fazer uma nova economia acontecer. Vamos juntos?

Saiba mais sobre as responsabilidades

  • Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona
  • Categoria: Cidades, Cultura e Arte, Política

Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Camila Mota
Heloísa Garcia da Mota
Claudia Benedetti
Adalto Alfredo Pontes Filho
EVÂNIA DA SILVA OLIVEIRA
EVÂNIA DA SILVA OLIVEIRA
JOSE CARLOS DE OLIVEIRA
Maria Carolina Blassioli Moraes