UIRAPURÚ MARAPANIM CONTRA O COVID-19 |

UIRAPURÚ MARAPANIM CONTRA O COVID-19

O Grupo Uirapurú de Marapanim, com está campanha busca doações para ajudar esses representantes da cultura popular paraense a se manter durante a pandemia.

Projeto por: MANOEL AGUINALDO FARIAS PINTO
R$ 590,00
arrecadado
meta R$ 20.000,00

13 benfeitores
apoiaram essa campanha

Conseguimos \o/

Obrigado a todos os Benfeitores por mais um projeto bem sucedido. Agora, acompanhe as novidades e comentários do projeto.

POR

MANOEL AGUINALDO FARIAS PINTO

MANOEL AGUINALDO FARIAS PINTO
R$ 25
Apoie com 25 reais
3 benfeitores apoiando
Você está apoiando com cestas básicas, para conseguirmos levar o minímo para famílias de nossa comunidade.
R$ 50
Apoie com 50 reais
1 benfeitor apoiando
Você doara materias de limpeza, para conseguirmos levar o minímo para famílias de nossa comunidade.
R$ 100
Apoie com 100 reais
Seja o primeiro a apoiar!
Seu apoio é fundamental para enfrentar o covid-19 e salvaguardar um patrminônio imaterial.
R$ 150
Apoie com 150 reais
Seja o primeiro a apoiar!
Seu apoio é fundamental para enfrentar o covid-19 e salvaguardar um patrminônio vivo que são os Mestres e Mestras do Carimbó.
R$ 200
Apoie com 200 reais
1 benfeitor apoiando
Seu apoio é fundamental para enfrentar o covid-19 e salvaguardar um patrminônio imaterial e toda sua comunidade.

São muitos os impactos gerados pela pandemia do novo coronavírus. Entre os setores mais atingidos está o da Cultura, que teve shows e apresentações canceladas como medidas de prevenção. Com isso, o orçamento de artistas e grupos culturais foi diretamente comprometido. A cultura popular segue uma lógica comunitária, agregando a economia criativa de seus territórios. Durante os eventos, a comunidade tem a oportunidade de comercializar suas produções como artesanatos e pratos tradicionais, bebidas e outras produções regionais como os instrumentos do Carimbó. A cultura popular, assim como os outros segmentos artísticos, encontra-se desamparada e sem perspectiva de ações ou retorno as atividades. Por isso o Grupo de Carimbó de Marapanim na sua urgência para que o grupo e os Mestres sobrevivam a tudo isso, decidiram fazer esta campanha.

A Escolinha de Carimbó já formou inúmeros músicos e dançarinos de Carimbó, entre eles Douglas Silva que toca hoje no grupo adulto. Desde 2003 a Associação Cultural Uirapurú vem fazendo este trabalho de inclusão social com crianças e jovens de Marapanim, em 27 de julho de 2010 foi outorgada pela Lei nº 7.452 o reconhecimento de utilidade pública do Estado do Pará. A Escola tem objetivo de apresentar as diretrizes de Educação Patrimonial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e fomentar o debate sobre o tema. Além de apresentar os princípios de Educação Patrimonial do Iphan, a Escola busca refletir qual a relação da educação para a mobilização social no campo do patrimônio. E as estratégias educativas são fundamentais para propiciar a interação social entre e os diversos atores sociais envolvidos e preocupados com a preservação da memória coletiva.

MANOEL AGUINALDO FARIAS PINTO ainda não publicou nenhuma notícia.

São muitos os impactos gerados pela pandemia do novo coronavírus. Entre os setores mais atingidos está o da Cultura, que teve shows e apresentações canceladas como medidas de prevenção. Com isso, o orçamento de artistas e grupos culturais foi diretamente comprometido. A cultura popular segue uma lógica comunitária, agregando a economia criativa de seus territórios. Durante os eventos, a comunidade tem a oportunidade de comercializar suas produções como artesanatos e pratos tradicionais, bebidas e outras produções regionais como os instrumentos do Carimbó. A cultura popular, assim como os outros segmentos artísticos, encontra-se desamparada e sem perspectiva de ações ou retorno as atividades. Por isso o Grupo de Carimbó de Marapanim na sua urgência para que o grupo e os Mestres sobrevivam a tudo isso, decidiram fazer esta campanha.

A Escolinha de Carimbó já formou inúmeros músicos e dançarinos de Carimbó, entre eles Douglas Silva que toca hoje no grupo adulto. Desde 2003 a Associação Cultural Uirapurú vem fazendo este trabalho de inclusão social com crianças e jovens de Marapanim, em 27 de julho de 2010 foi outorgada pela Lei nº 7.452 o reconhecimento de utilidade pública do Estado do Pará. A Escola tem objetivo de apresentar as diretrizes de Educação Patrimonial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e fomentar o debate sobre o tema. Além de apresentar os princípios de Educação Patrimonial do Iphan, a Escola busca refletir qual a relação da educação para a mobilização social no campo do patrimônio. E as estratégias educativas são fundamentais para propiciar a interação social entre e os diversos atores sociais envolvidos e preocupados com a preservação da memória coletiva.

MANOEL AGUINALDO FARIAS PINTO ainda não publicou nenhuma notícia.